URBANASVARIEDADES.BLOGSPOT.COM

O modo long-play do Urbanascidades, desde 02.02.2012.
Blog cultural e artístico de produção coletiva. Seja um colaborador enviando artigos, cronicas, poemas, contos, ensaios e qualquer outro tipo de manifestação artística literária ou cultural. Não avaliamos ou censuramos textos, a anarquia e a contestação são incentivadas, dentro do politicamente correto. Discriminações, agressões, palavrões e outros "ões" ofensivos não serão aceitos.
Por que Long Play? Versão mais "cool", para ser saboreada ao som de um "smooth jazz", com textos que aprofundam os temas, para Urbanautas que tem um tempinho a mais.

Envie as suas produções para urbanascidades@gmail.com.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Poesia - DEUS

SERVIR A DEUS
SER VIL A DEUS
SERVIL A DEUS
SER VIU A DEUS
SERVIU A DEUS
SERVIU, ADEUS.

DECIDIR
CAMINHOS A SEGUIR
SEGUIR CAMINHOS,
OU SÓ PROSSEGUIR
PROSSEGUIR SÓ
OU “ELE” ACOMPANHAR
SEGUIR “SEUS” PASSOS
OU “SEU” CAMINHO RECUSAR

ENSINAR
O QUE APRENDEU
VAI TRANSMITIR?
O QUE RECOLHEU
SABERÁ EXPLICAR?
QUANTO INSISTIR
PROCURAR ESPALHAR

VIVENCIAR
NÃO BASTA APREENDER
QUERER EXIBIR
MAIOR QUE FALAR
É SIMPLESMENTE CONJUGAR

O VERBO AMAR


2 comentários:

FARMACÊUTICO POETA CÍCERO MORAES disse...

A EXISTÊNCIA DE DEUS - POETA PEDRO BANDEIRA

A existência de Deus

Deus está nas idéias de Platão
Aristóteles, Confúcio, Cicero e Dante
Gutemberg, Barret, Galeno e Kant
Leonardo, Beethoven e Salomão
Quem afirma que Deus é ficção
É nocivo, pequeno e ignorante
Para o mundo é insignificante
Porque Deus é a própria inteligência
É a luz sublimada da ciência
Transformando uma célula num gigante

Deus está no sol quente e causticante
Nas camadas sutis e argilosas
Nas chapadas das serras arenosas
E nas cascatas do bosque horripilante
Nas jornadas saudosas do emigrante
Que se vive a sofrer não se mal diz
Deus existe no caule e na raiz
Na bondade, no amor, na esperança
E no sorriso inocente da criança
Que não sabe o que é ser infeliz

Deus está no voar dos colibris
Única ave que voa à marcha ré
Bota a marcha de força e não dá fé
Que a cabeça está perto do chassis
Deus existe nos verdes alcantis
E nos talhados globais que o mundo tem,
No chacal, no cancão e no vem-vem
Na floresta assombrosa e no arbusto
E na caneta de ouro do homem justo
Que não rouba um tostão de seu ninguém

Deus existe no mar com suas tonas
Nas colcheias dos vates nordestinos
Nos sussurros dos córregos cristalinos
E nas jazidas de ouro do amazonas
Nas ingênuas libélulas que são donas
Das gotículas de orvalho das manhãs
Nas gaivotas do mar, nas jaçanãs
No segredo do fogo e nas centelhas
E no zumbido sonoro das abelhas
Festejando um partido de “milhães”

Deus está no foguete e no avião
Nas emendas do paralepipédico
Na ciência das mãos do próprio médico
Que tentou transplantar um coração
No relâmpago, na chuva, no trovão
E nas fagulhas que vão na correnteza
Na paixão, na humildade e na nobreza,
Nos tecidos da teia da aranha
E no poeta no pé de uma montanha
Recebendo as lições da natureza

Deus existe em todos minerais,
Nos insetos nas aves e nos abrolhos,
Nas lanternas dos nossos próprios olhos
E nas camadas das nuvens pluviais
Na metamorfose nos rosais
Na essência da flor e no “paúlo”
Nas estrelas, no chão, no céu ‘azulo’
No escuro, no ar, na lua clara
No calor do deserto de Saara
E na frieza sem fim do pólo “sulo”

Deus está na criança abandonada
Que soluça com fome e não comenta
E no silencio do louco que senta
Na palhoça da beira da estrada
Nos rangido do remo da jangada
Que uma parte é molhada e outra enxuta
Deus está no preâmbulo da conduta
Do poeta que conta a sua história
E nas medalhas de ouro da vitória
De quem parte pra o campo e ganha a luta

Deus existe em um cérebro eletrônico
Nos cristais que dão vida ao microfone
No mistério da voz do telefone
E nos artista atuais do mundo harmônico
Num piano melódico e sinfônico
Na energia atômica e na corrente
No progresso do mundo atualmente
Na caneta, na tinta e no papel,
E no milagre infinito da EMBRATEL
Que atira a imagem em nossa frente

Deus está numa máquina de escrever
Na mecânica da nova matemática
Na consciência tranqüila da gramática
E numa fita que fala e ninguém vê
Sua faixa estirar nem encolher
Entre a cor, a cadencia e a qualidade
Dependendo de ter velocidade
Ela grava, desgrava e pede bis
Da maneira que a boca humana diz
Ela canta pra toda humanidade

Deus está nesse encontro entre nós
Nos amigos que sentem meus problemas
Nos adultos que escutam meus poemas
E nas crianças que aplaudem a minha voz
Já esteve, ainda está, e logo após
Reunidos daqui viajaremos
Deus é tudo na vida o que nós temos
Crer em Deus é ter flores na memória
É saber que a morte é grande glória
Para a vida eterna que teremos!

Cristal de uma mulher disse...

Tremendamente emotiva as letras que fala e traduz equilibrio.

Boa noite

As matérias de opinião publicadas neste blog são livremente inspiradas em pesquisas na internet e em bibliografias diversas. As imagens são da internet e de outros blogs. O urbanasvariedades valoriza e respeita o direito de propriedade mas eventualmente não é possível determinar a autoria destas imagens. Caso acidentalmente ocorra a omissão ou seja citada incorretamente a autoria, entre em contato para que possamos efetuar as correções.
Os textos produzidos pelos colaboradores são de inteira responsabilidade dos mesmos.