URBANASVARIEDADES.BLOGSPOT.COM

O modo long-play do Urbanascidades, desde 02.02.2012.
Blog cultural e artístico de produção coletiva. Seja um colaborador enviando artigos, cronicas, poemas, contos, ensaios e qualquer outro tipo de manifestação artística literária ou cultural. Não avaliamos ou censuramos textos, a anarquia e a contestação são incentivadas, dentro do politicamente correto. Discriminações, agressões, palavrões e outros "ões" ofensivos não serão aceitos.
Por que Long Play? Versão mais "cool", para ser saboreada ao som de um "smooth jazz", com textos que aprofundam os temas, para Urbanautas que tem um tempinho a mais.

Envie as suas produções para urbanascidades@gmail.com.

sábado, 17 de março de 2012

poesia - GATTA

GATTA

Como a minha gatta
Igual não há
Meus sentimentos
Difícil explicar
Se a provocar
Vai me arranhar
Se acariciar
Vai ronronar
O nosso reencontro, nebuloso
Seu destino, outro caminho

Verão , outono, inverno, primavera
Professor, sino tocando
Quando criança
Na fila do recreio
Ela
Brincando de roda sem receio
Eu
Sua trança puxando

Da floresta a imensidão
Vizinhos
Mas não a vejo
mudou pra longe, sebastião
Ainda menina, quase mulher
Do meu sorvete não quis a colher
Saia plissada, bem curtinha
Ainda, de novo quase vizinha
E nossos destinos, desencontros de novo

Meusseus quinze anos
Destino brincalhão
Afinal camarada
Quase por nada
Amigos melhores
Paixão recolhida
Desmentida,
No cimento dos pátios
Daquelas manhãs
Consentidos olhares, toques imperceptíveis,
Sementes plantadas,
Aqueles calores, aqueles passeios, tão cheios de promessas
Eu não entendia
Ou medo teria
Ela me assumiria?

Final do adolescer,
O vento da mudança novamente separando
Eu, ela, vestibulando
Crescer distender/tensionar/embaralhar/sofrer/doer?
Tantas opções
Estudar/trabalhar/aproveitar/namorar/viajar/
Meu cérebro de 17 pensa tudo saber/prever

Arquitetura é o caminho
Sem pensar no rumo, quero sair do ninho
Alçar vôo feito passarinho
Encontrar meu eu em algum lugar
Seguindo o badalar do Sino
Virei bixo,
Nos corredores, enfim universitário
A descoberta do novo mundo
Horizontes sem fim
Esquadros, escalas, lápis, polígrafos, almoço no RU
Nos corredores a cruzar
Rapazes gurias jovens adultos velhos
Ela...
Ops, será miragem
Esta silhueta
Sibilante figura
Vermelha vertigem
Minha gatta
Destino brincalhão
Afinal camarada
Aproximação
Uma nova chance não deve ser desperdiçada
Desta vez farei tudo certo
Nos recreios, no Centralão, na lancheria
Simplesmente te-la por perto
Não mais me satisfaria
O sítio farei
Assobiar
Conquistar poderei
Primaveril mensagem
Momento ideal, entre a minha e a sua
Passagem
Final de tarde
Que seja eterno enquanto dure
Final da perpétua ansiedade
Consumado est...


2 comentários:

Eva Sabbado disse...

Que lindo esse poema, uma trajetória de vida, dois caminhos, um destino, muito lindo esse encontro e o desencontro foi só para fortalecer os quereres, eheh, abraços, parabéns, bom domingo.

Nelma. disse...

Lindo o seu blog,vc está de parabéns,já estou te seguindo,porque com certeza vou fazer varias vitas bjs.

As matérias de opinião publicadas neste blog são livremente inspiradas em pesquisas na internet e em bibliografias diversas. As imagens são da internet e de outros blogs. O urbanasvariedades valoriza e respeita o direito de propriedade mas eventualmente não é possível determinar a autoria destas imagens. Caso acidentalmente ocorra a omissão ou seja citada incorretamente a autoria, entre em contato para que possamos efetuar as correções.
Os textos produzidos pelos colaboradores são de inteira responsabilidade dos mesmos.