URBANASVARIEDADES.BLOGSPOT.COM

O modo long-play do Urbanascidades, desde 02.02.2012.
Blog cultural e artístico de produção coletiva. Seja um colaborador enviando artigos, cronicas, poemas, contos, ensaios e qualquer outro tipo de manifestação artística literária ou cultural. Não avaliamos ou censuramos textos, a anarquia e a contestação são incentivadas, dentro do politicamente correto. Discriminações, agressões, palavrões e outros "ões" ofensivos não serão aceitos.
Por que Long Play? Versão mais "cool", para ser saboreada ao som de um "smooth jazz", com textos que aprofundam os temas, para Urbanautas que tem um tempinho a mais.

Envie as suas produções para urbanascidades@gmail.com.

segunda-feira, 2 de julho de 2012

A fotografia de Mark Story


Mark Story, diretor de comerciais nas décadas de 70 e 80, um esteta do belo em suas produções, nos mostra no projeto Living in Three Centuries – The Face of Age (Vivendo em três séculos – o rosto do tempo) que a beleza transcende os séculos e conta histórias de vida fantásticas, em closes enfáticos e impactantes, toda a expressão de uma existência. Pessoas de todas as partes do mundo foram clicadas entre 1987 e 2005, na maioria centenárias, que tiveram suas histórias escutadas por Mark e transformadas em legendas para as fotos, como a mulher com 101 anos cega pela velhice que diz adorar homens lindos, o velho italiano que no seu aniversário de 105 anos tomou duas taças de vinho tinto, dançou com garotas, com seu médico e com a enfermeira, ou a portuguesa de 103 anos que desde os 80 se veste de preto carregando fervorosamente o luto pela morte precoce de seu marido.
Estamos nos tornando um mundo de pessoas da "melhor idade", e precisamos nos preparar para esta nova realidade com dignidade e respeito, buscando no trivial do dia a dia a beleza da vida, e não repetindo fórmulas estéticas impostas pela mídia e pela sociedade, de que belo é somente o jovem e o novo. Visite o site oficial do Mark.

























3 comentários:

Janice Adja disse...

São rostos fortes. O Primeiro foi repetido, é o 18.
São faces difíceis de serem esquecidas.
Felicidades!

Janice Adja disse...

Não tenho medo de envelhecer. Meu medo vem de outro lugar.
Felicidade!!!

Walkyria disse...

Conheço idosos maravilhosos que são companhias deliciosas.
Não tenho medo da velhice.
O que me apavora é imaginar que ela chegue e leve embora a minha lucidez.
Carinhoso abraço

As matérias de opinião publicadas neste blog são livremente inspiradas em pesquisas na internet e em bibliografias diversas. As imagens são da internet e de outros blogs. O urbanasvariedades valoriza e respeita o direito de propriedade mas eventualmente não é possível determinar a autoria destas imagens. Caso acidentalmente ocorra a omissão ou seja citada incorretamente a autoria, entre em contato para que possamos efetuar as correções.
Os textos produzidos pelos colaboradores são de inteira responsabilidade dos mesmos.